Playoff de apuramento Campeonato da Europa 2015 – Portugal volta a vencer (5-4) e garante apuramento 8 anos depois!!!!

bandeira_portuguesa

 

Cinco dias depois da grande vitória conseguida na Holanda, que colocou os jovens Portugueses como claros favoritos para a passagem à fase final do Europeu de 2015, chegamos ao dia da segunda mão do playoff em os Portugueses têm que confirmar as boas indicações dadas na primeira partida. Partem a vencer por duas bolas a zero, mas continuam a ter pela frente uma selecção muito forte que irá tentar de tudo para conseguir contrariar o resultado do primeiro jogo. Os jogadores nacionais não podem pensar que já está conseguido o apuramento e precisam de fazer um jogo sério, até porque querem também garantir o pleno de vitórias nesta fase.

São estes os 11 iniciais:

Portugal: José Sá; Esgaio, Paulo Oliveira, Ruben Vezo e Raphael Guerreiro; Ruben Neves, Bernardo Silva, Tozé e Sérgio Oliveira; Ivan Cavaleiro e Ricardo Pereira;

     Holanda: Warner Hahn; Brenet, Rekik, Kongolo e Willems; Nathan Aké, Hupperts e Adam Maher; Ola John, Weghorst e Elvis Manu;

O jogo começou bom, com Portugal a entrar melhor na partida, sempre com noção de que está em vantagem na eliminatória, sem grandes riscos, mas criando as melhores oportunidades de golo nos primeiros minutos de jogo. Os Holandeses pareciam algo nervosos, sem conseguir assentar o seu jogo e sem conseguir visar com perigo a baliza de José Sá. E logo aos 13 minutos, após a marcação de um livre por Tozé, Portugal colocou-se em vantagem na partida, com um bom desvio de Rubén Vezo. Parecia cada vez mais perto o apuramento. Mas logo no lance seguinte os Holandeses chegaram ao empate num desvio de cabeça de Weghorst a finalizar da melhor maneira um cruzamento de Willems. O jogo estava de novo empatado. Um início de jogo muito intenso. Tão intenso que logo cinco minutos depois, após a marcação de um canto Rubén Neves saltou mais alto que todos e recolocou Portugal na frente do jogo e com 3 golos de vantagem na eliminatória. O jogo continuou bom, com a equipa Holandesa a não baixar os braços e os Portugueses a tentar aproveitar os espaços concedidos pelo adversário para tentar chegar ao terceiro golo. E na fase final do primeiro tempo, num período de maior domínio da equipa Holandesa e após mais um cruzamento de Willems, Kongolo voltou a empatar a partida, resultado com que fomos para o intervalo.

O segundo tempo começou com a Holanda mais subida, a tentar marcar um golo que desse esperança aos jogadores dos “Países Baixos” no apuramento criando até algumas jogadas de perigo, mas numa jogada de contra-ataque fantástica de Ricardo Pereira, a equipa Portuguesa voltou a colocar a selecção das quinas em vantagem no jogo. O jogo continuou muito vivo, com Portugal a voltar a ter maior ascendente na partida, mas a equipa Holandesa continuava a lutar por um “milagre” e a tentar chegar ao terceiro golo. Golo que acabou por chegar aos 64 minutos após uma falha defensiva dos Portugueses, Ake a ter só que encostar e a empatar de novo o jogo. E logo na resposta, Portugal voltou a colocar-se na frente. Depois de uma jogada pela direita, a bola chegou a Ricardo que rematou sem qualquer hipótese para Hahn. Portugal estava novamente na frente, num grande espectáculo de futebol. A partir daí a equipa Alemã, embora não baixasse os braços estava com muito pouco ânimo e os Portugueses aproveitavam para praticar o seu futebol e as oportunidades de golo foram-se sucedendo para a baliza Holandesa. E tantas foram as oportunidades para Portugal, que acabou por matar o jogo com o quinto golo, numa arrancada tremenda de Bernardo Silva que apenas terminou com a bola no fundo das redes. Mas logo no lance seguinte, uma grande penalidade clara a favor dos Holandeses que Ake não desperdiçou e voltou a colocar a diferença em um golo. E assim terminou o festival de golos. Portugal estava no Campeonato da Europa de 2015.

Um grande jogo de futebol, com 9 golos, mas onde podiam ter-se marcado ainda mais. Portugal foi o justíssimo vencedor do jogo e da eliminatória por tudo o que fez durante os dois jogos. Mostrou uma equipa mais sólida, apesar dos erros defensivos que deram lugar a quatro golos Holandeses no jogo de hoje, mas demonstraram um grande discernimento, e uma capacidade de responder aos golos adversário tremenda. Passados oito anos, os Sub 21 Portugueses voltam a estar presentes num campeonato da Europa, e pela primeira vez conseguem o pleno de vitórias nesta fase de apuramento. Será certamente uma força a ter em conta para a competição que se jogará na República Checa.

Parabéns Portugal!!!!

César Escobar

Anúncios

Playoff de apuramento Campeonato da Europa 2015 – Holanda vs Portugal

bandeira_portuguesa

Começou hoje o playoff de apuramento para o campeonato da Europa de 2015, com um jogo importantíssimo para a selecção Portuguesa frente à poderosa Holanda. Um jogo entre duas grandes selecções no panorama Europeu, mas com histórias recentes bem diferentes. Acostumados à presença na fase final os Holandeses defrontam uma selecção Portuguesa que não participa numa fase final desde 2007. Após uma fase de grupos perfeita para a equipa Portuguesa, espera-se que o bom momento dos pupilos de Rui Jorge se mantenha e que consigam o tão desejado apuramento para a fase a disputar na República Checa. Um grande jogo em perspectiva.

Foram estes os 11 iniciais:

Holanda: Warner Hahn; Van Beek, Rekik, Willems e Ligeon; Nathan Aké, Ebecilio, Elvis Manu e Adam Maher; El Ghazi e Castaignos;

Portugal: José Sá; Esgaio, Paulo Oliveira, Ruben Vezo e Raphael Guerreiro; Ruben Neves, Bernardo Silva, Rafa e Sérgio Oliveira; Ivan Cavaleiro e Ricardo Pereira;

O jogo começou bem movimentado, com uma grande entrada da equipa Holandesa que esteve quase a marcar logo no início da partida, mas com uma grande reacção da equipa Portuguesa que conseguiu sacudir a pressão inicial dos jogadores Holandeses, pressionando bem a saída de bola e obrigando os adversários a jogar na sua zona mais recuada. Os jovens Portugueses foram subindo no terreno, criando boas jogadas de perigo para a baliza de Hahn, começando a ter um maior ascendente e controlando as operações. A equipa Holandesa tentava sobretudo através de ataques rápidos apanhar a equipa nacional em conta pé. Um jogo muito vivo, com duas equipas ofensivas a praticar um futebol de grande qualidade. O jogo entrou numa fase mais calma, a partir do minuto 30, com o ritmo a diminuir consideravelmente, mas com ambas as equipas sempre em busca de espaços na defensiva adversária. Uma boa primeira parte que terminou com uma grande penalidade a favor da equipa portuguesa, após uma bela combinação pela esquerda, que terminou com uma falta sobre Bernardo Silva. Penalty que Sérgio Oliveira não desperdiçou e colocou a equipa Nacional na frente mesmo em cima do intervalo. Num primeiro tempo onde o golo podia ter caído para qualquer lado, os jovens Portugueses marcam mesmo no final e partem para o segundo tempo com uma merecida vantagem.

O segundo tempo começou com um Portugal mais tranquilo, e a dominar, criando logo de início algumas oportunidades para aumentar a vantagem, enquanto os Holandeses parecerem muito afectados pelo golo sofrido em cima do intervalo. Parecia estar mais perto o segundo golo Português do que propriamente o empate para os jovens dos “Países Baixos”. Eram poucas as incursões com sucesso da equipa Holandesa, mas nas poucas vezes que conseguiam criar buracos na bem estruturada defensiva Portuguesa, causavam alguns calafrios para a baliza de José Sá. Mas os jovens Portugueses mostravam muito mais organização e qualidade de jogo, controlando as operações e nunca deixando de visar a baliza adversária. As oportunidades foram-se sucedendo e foi com naturalidade que Portugal chegou ao segundo golo após uma bela jogada individual de Carlos Mané, entrado entretanto no jogo. Até ao final, poucos mais motivos de interesse num grande jogo, onde Portugal conseguiu uma grande vantagem de dois golos para defender na próxima terça-feira.

Uma grande partida de futebol com a equipa Nacional a mostrar toda a sua capacidade e a não dar quaisquer hipóteses aos Holandeses. Um jogo a roçar a perfeição por parte dos jovens Portugueses, coloca estes grandes jogadores a um pequeno passo do apuramento para o Europeu. O adversário era muito complicado, mas esta selecção mostrou que não se intimida e que mantendo este nível e este bom trabalho, podem ser sérios candidatos a algo mais. Falta ainda um jogo, mas será preciso quase uma catástrofe para Portugal não marcar a merecida presença na República Checa.

Força Portugal!!!!

César Escobar