Europeu sub19 – Meias finais – Portugal chega à final após eliminar Sérvia (4-3 nas grandes penalidades depois de 0-0 após prolongamento)

sub19.destaque

Depois de garantir o primeiro lugar do grupo A, a jovem selecção Portuguesa disputou hoje a meia final do campeonato da Europa de Sub19. Uma reedição da meia final do ano passado, frente à Sérvia, onde o grande objectivo da comitiva Portuguesa é fazer um resultado diferente do conseguido na meia final da época passada (derrota nas grandes penalidades). Um jogo que se esperava muito complicado para os Portugueses, mas onde a vontade de vencer era muita.

Portugal, como é normal, assumiu desde cedo o jogo, não dando grandes hipóteses de ataque à equipa Sérvia, mas também sem jogar com grande ritmo, e sem criar muitas ocasiões de golo. Os Sérvios mais fechados na sua zona defensiva, tentavam chegar à baliza adversária através de jogadas em velocidade, mas apanharam uma bem organizada defesa Portuguesa. Apenas aos 27 minutos os Sérvios criaram algum perigo, com um remate de longe, bem defendido por André Moreira. O jogo foi ficando cada vez mais morno e jogado a meio campo, num primeiro tempo que teve poucos motivos de interesse, embora Portugal estivesse mais perto do golo.

O segundo tempo começou com a equipa Sérvia mais afoita, arriscando mais no ataque e criando alguns calafrios à defensiva Portuguesa, enquanto, por outro lado os Portugueses iam tentando combinações rápidas de ataque para tentar desposicionar a mais adiantada zona defensiva dos Sérvios. O jogo estava mais aberto e com muito maior qualidade que a que se viu no primeiro tempo. Notava-se que o golo poderia cair para qualquer lado. Com o passar do tempo o jogo foi voltando à sua fora inicial com os Portugueses a terem mais bola e a equipa Sérvia a parecer apostada em acima de tudo tentar segurar o empate e eventualmete procurar um contra-ataque que pudesse dar um golo. Muito fechados na sua zona defensiva os Sérvios não davam o mínimo espaço aos Portugueses para chegar à sua baliza com grande perigo. O segundo tempo chegou ao final com o empate a 0-0 numa segunda parte que começou por prometer muito mas onde o recuo da equipa Sérvia fez com que o interesse voltasse a cair com o passar do tempo. Tal como no ano passado o jogo teria que ir a tempo extra.

O início do prolongamento ficou marcado pela lesão de André Moreira, que foi substituído por Tiago Sá na baliza Portuguesa. Os Sérvios voltaram a aparecer com mais “vontade” na frente de ataque deixando alguns problemas para a baliza Portuguesa, mas rapidamente os Portugueses voltaram a pegar no jogo, principalmente no início do segundo tempo, altura em que os jovens nacionais encostaram claramente os adversários à sua zona defensiva e criaram algumas jogadas de grande perigo para o guarda-redes Sérvio. Mas não houve golos no final dos 120 minutos e o jogo ia novamente a grandes penalidades.

Nas grandes penalidades a história foi diferente do ano anterior. Ronny marcou e Gacinovic falhou logo na primeira grande penalidade. Os quatro seguintes deram golo também. André Silva e Guzzo concretizaram para Portugal, Zjedlar e Ristic mantiveram os Sérvios na luta. Mas ao quarto penalty Podstaswski permitiu a defesa de Rajkovic e Jokic não falhou voltando a empatar a eliminatória. No penalty decisivo, Ivo Rodrigues não falhou e Milinkovic-Savic permitiu a defesa a Tiago Sá que assim se tornou um dos heróis desta meia final. Portugal estava assim na final do Campeonato da Europa, onde irá defrontar a Alemanha.

Não foi um grande jogo de futebol. A estratégia defensiva dos Sérvios e a falta de capacidade para abrir buracos na defensiva adversária  e falta de pontaria quando o faziam por parte dos Portugueses levou a que o jogo não fosse o melhor ao nível de qualidade. A verdade é que chegámos ao final com o empate a zero que espelhava a falta de emoção durante os 120 minutos. Nas grandes penalidades, desta vez, foram mais felizes os jogadores Portugueses que acabaram por garantir a vitória e a presença na final, ao vencer por 4-3. Uma vitória merecida daquela que embora não tenha feito um grande jogo, foi a que mostrou sempre mais vontade de vencer. Portugal está na final, joga frente à Alemanha, na próxima quinta-feira e o sonho está cada vez mais perto de se tornar realidade. Falta apenas um degrau.

FORÇA PORTUGAL!!!!!

César Escobar

Anúncios

Europeu Sub19 – Portugal goleia Hungria (6-1) e garante presença nas meias finais

sub19.destaque

Depois de uma boa vitória frente a Israel, Portugal entrava no jogo frente à Hungria com o favoritismo do seu lado e a vontade de garantir desde já a presença na fase seguinte e a qualificação para o Mundial de Sub 20 do próximo ano. Tinha pela frente uma Hungria que depois de uma derrota na primeira jornada, precisava de vencer para ainda conseguir sonhar com a fase seguinte.

O jogo começou com o domínio completo da selecção Portuguesa que embora não conseguisse marcar, era a única equipa a criar jogadas de golo, estando por diversas vezes perto de marcar na fase inicial do jogo. A Hungria não conseguia praticamente sair do seu meio campo e a primeira vez que o conseguiu fazer foi aos 15 minutos, mas criando, de bola parada, uma boa situação de golo. O jogo entrou numa fase de menor ritmo, mas com a equipa Nacional a controlar as operações e cheirava a golo para os Portugueses. Golo que surgiu aos 31 minutos, de grande penalidade a penalizar uma falta de um defesa Húngaro sobre Ivo Rodrigues. O mesmo Ivo não falhou e colocou Portugal em vantagem. A vencer os jovens jogadores Nacionais continuaram a dominar o jogo a seu belo prazer e criavam muitas jogadas de perigo, parecendo estar mais perto o segundo golo português do que o empate para os Húngaros. O segundo golo surgiu em cima do intervalo por André Silva após uma jogada de Ivo Rodrigues que aproveitou um erro do adversário e o terreno, para ganhar a bola e fazer o passe para o golo do avançado Português. Portugal chegava ao intervalo com uma merecida vantagem de dois golos.

O segundo tempo começou com a equipa Húngara a tentar reagir ao resultado que lhe era desfavorável, mas sem conseguir sequer criar perigo. Eram os Portugueses que, mesmo jogando a um ritmo mais lento, se aproximavam com perigo da baliza adversária. E o domínio Português foi concretizado em mais um golo. André Silva fez o seu segundo golo na conta pessoal, terceiro da equipa Nacional a finalizar de cabeça um bom cruzamento de Francisco Ramos. O jogo começava a ter tons de goleada, e Portugal estava a ter um jogo muito tranquilo. Aos 73 minutos o golo de honra dos Húngaros. Uma boa jogada de contra-ataque, a melhor dos Magiares, que apanharam a defensiva Portuguesa em contra pé e Mervo a fazer o 3-1. Mas dois minutos depois, após uma excelente jogada individual, onde passou por três adversários, Gelson Martins fez o quarto golo para os Portugueses. A toada do jogo menteve-se até ao final e não terminaríamos o jogo sem que André Silva fizesse mais dois golos, garantindo o Poker e a vantagem de 6-1. Primeiro aos 89 minutos, após um bom toque de Guzzo que isolou o avançado que não falhou, depois, já na compensação a finalizar da melhor maneira um belo cruzamento de Rafa. O jogo terminou pouco depois com uma goleada histórica da selecção Portuguesa.

Dois jogos, duas vitórias, 9 golos marcados, um sofrido, é este o pecúlio até ao momento da selecção Sub19 Portuguesa. Na próxima sexta-feira os jovens nacionais jogam para o primeiro lugar do grupo frente à Austria, mas uma coisa é certa. No próximo ano Portugal estará no Mundial de sub20 e estes jovens jogadores têm também a presença nas meias finais garantidas. O sonho de ser campeão Europeu é possível e com a qualidade que esta equipa tem demonstrado, pode ser muito mais que um sonho.

FORÇA PORTUGAL!!!

César Escobar